0
0 In Artigos

Descarte de restos de feitiços: O que fazer com resíduos rituais

Descarte de restos de feitiços O que fazer com resíduos rituais Hoodoo bruxaria

Uma pergunta recorrente nas mensagens que eu recebo é sobre o que fazer com a sobra ritual. Ou seja, como fazer o descarte de restos de feitiços de forma que não estrague o trabalho que foi feito e nem atraia pra você uma energia indesejada. Pensando nisso, eu resolvi fazer um texto que, antes de apresentar um lista a ser decorada fizesse, antes, o praticante entender as ideias por trás do conceito. Dessa forma, para cada item abaixo eu deixei uma explicação sobre a idea relacionada à respectiva prática.

Antes de tudo, porém, devo advertir que o termo “descarte” foi empregado neste texto fazendo referência a duas situações distintas. O ato de se desfazer do que não serve mais ao uso. Mas, também, a ideia de “finalização” de um feitiço. Isso porque, no Hoodoo, a forma como você “descarta” um material é, muitas vezes, a forma como você “coloca seu trabalho em ação contínua”. Dessa forma, entendemos que, a menos que seja um material que possa ser usado novamente, “descartar” um feitiço implica na forma como esse continuará a fazer efeito após a conclusão do trabalho.

Sabendo disso, tenha muita atenção na hora de escolher como descartar o resto do seu trabalho. E, de preferência, esqueça essa ideia de que o lixo de casa é o melhor lugar para isso.

 

Reaproveitamento de material:

Você pode reaproveitar os pratos de cerâmicas, suporte de velas, queimadores de incenso e potes usados em feitiços. Uma boa forma de reaproveitar esses materiais é lavando em água corrente. E, em seguida, fazer uma lavagem com água de Sálvia para remoção das energias que ficaram impregnadas no recipiente. A água para lavagem é feita da mesma forma como se prepara um banho de ervas. Ou seja, através da infusão das folhas de Sálvia conjuradas e dispostas em água. Depois é só aguardar o resfriamento da mesma e usá-la.

Após essa processo, você pode guardar o recipiente para ser usado em um feitiço futuro. Eu não gosto de misturar os utensílios que uso em cada tipo de prática. Então, mesmo após a lavagem com ervas, eu separo as louças por função (financeiro, amor, banimento, etc).

Alguns resíduos devem ser “tratados” antes de serem descartados. Esse é o caso de Sacos Mojos, Garrafas de Mel e outros trabalhos que perderam seu efeito ou que os efeitos não são mais desejados.

Nesses casos, as ervas e outros cúrios podem ser removidos e enterrados no seu quintal ou jardim.

Aconselho que os itens inorgânicos sejam liberados de sua energia antes de serem descartados. Você pode declarar sua intenção de nulidade de efeito durante o descarte, inutilizando o recipiente (rasgando, quebrando ou queimando) e falando em voz alta sua intenção.

Então, se o feitiço não saiu como você queria ou o Mojo morreu, trate-os. Ou, se você não quer mais o resultado de um trabalho, a vela apagou antes do tempo final ou não queimou até o fim, trate-os antes do descarte também. Declare a intenção, rasgue a petição, quebre o restante da vela ou queime tudo em panela de ferro com ervas de purificação.

Eu não estou dizendo que se você não fizer isso terá um resultado ruim de um feitiço seu trabalhando contra você. Eu estou apenas dizendo que essa representa uma forma respeitosa de tratar os elementos. Elementos esses que foram úteis a você nesse trabalho. É uma forma simbólica de distinguir o tratamento dado às coisas sagradas daqueles que damos às coisas mundanas.

Essa é uma outra forma também de cortar um feitiço que aparentemente já começou errado, eliminando as energias geradas e abrindo espaço para que um novo trabalho seja feito.

 

Descarte ritual em feitiço de cunho benéfico:

Com objetivo de manter continuamente o efeito

Se você deseja prolongar os efeitos de um feitiços enterre-o no quintal de casa. Ou, enterre em um vaso de plantas grande seu. Contudo, sempre que você for guardar um trabalho que você queira que continue a gerar efeito, você deve guardá-lo embrulhado. Seja no congelador, na terra, na carteira ou sob a porta, embrulhe-o! Sendo assim, você deve acondicionar seu trabalho em um pano ou papel, fechar ou amarrar e só depois enterrar ou guardar. Isso garante a manutenção dos efeitos.

Essa medida de embrulhar para manter o efeito não se aplica aos feitiços que já estão acondicionados, como Sacos Mojos, Garrafas de Mel e de Maldição.

Os demais devem ser colocados no jardim da sua casa ou enterrados no quintal. Porém, eu sei o quanto essa prática é inviável para muitas pessoas hoje em dia. Afinal, muitas moram em apartamentos. Um alternativa para isso é manter um vaso grande de planta. Um vaso com planta para cada tipo de trabalho feito: família, dinheiro, amor, fidelidade. Você pode, ainda, combinar uma planta nesse vaso para ajudar a dar uma forcinha extra ao trabalho.

Exemplo:

Um arbusto com flores azuis para questões de família, ou amarelas para prosperidade. Ou, ainda, uma mini-roseira para questões de amor. Mas esse detalhe é apenas opcional, uma sugestão. Qualquer vaso de planta bem cuidada e forte está apta para receber o descarte de um trabalho continuado.

Os restos de ervas e do papel da petição levam, em média, cerca de 6 meses para se decompor. É fato que, ao final de um ano, se você tiver uma prática mágica bem ativa, você terá muitos vasos de plantas com muitos resíduos de feitiços dentro deles. Mas, de certa forma, também terá dado tempo para aquela energia ali atuar. Após esse período, você pode recolher o material e fazer o descarte final. Esse descarte final pode ser feito juntando o material em uma panela de ferro com ervas de purificação e queimando.

 

Com o objetivo de atrair o alvo (pessoa ou efeito) para perto

Se seu objetivo do trabalho for atrair para perto de você, da sua casa ou da sua vida, você também poderá enterrar as sobras no jardim de sua casa. Ou, seguindo a ideia do vaso de plantas, enterrá-lo em algum vaso de planta. Contudo, dê preferência a fazer o descarte em uma planta que fique na entrada da sua casa. Não se esqueça de condicioná-lo em um pano antes de enterrar.

Essa questão do vaso de planta ser colocado na entrada de casa está pautada em uma prática bem antiga no Hoodoo. Originalmente, esse tipo de feitiço era enterrado na porta de entrada da sua casa. Mas, me digam, quem é que hoje em dia mora numa casa com quintal de terra batida? Pouquíssimas pessoas. Por isso, faz-se necessária uma adaptação.

Mas não é só enterrando na porta de casa que esse efeito de atração é gerado. Um feitiço de prosperidade, por exemplo, pode ser colocado dentro de um pano grosso e guardado dentro da bolsa. Dependendo do tipo de trabalho, também pode ser guardado em um recipiente com tampa, no armário de mantimentos. Ou até mesmo dentro da carteira.

O mesmo se dá para um feitiço de atração de amor ou retorno de uma pessoa para dentro de casa. Dependendo do tipo de trabalho, ele pode ser guardado junto às roupas íntimas ou mantido permanentemente amarrado debaixo do colchão do casal.

 

Com o objetivo de mandar alguma condição ruim para longe

Se seu objetivo for fazer alguma condição ruim se afastar da sua vida, você pode descartar o material em um córrego ou rio. Ali, seguindo o fluxo de água continuamente o material levará para longe os males que foram confinados.

 

Com objetivo de transferir o efeito

Quando o objetivo for transferir o efeito de um corpo a “outro” deve-se usar um transportador. Um elemento que irá remover o Mal de um corpo e depois ser lançado sobre outro, a fim de mover o Mal para outro lugar. No Hoodoo usamos um ovo de galinha, que depois é lançado sobre o tronco de uma árvore, que absorverá a energia negativa.

Esse modelo de descarte é tão conhecido que havia, em algumas cidade americanas, a crença de que árvores apodreciam porque eram consumidas energeticamente após o contínuo recebimento de energias negativas lançadas pelas pessoas em ritos de limpeza. Por isso que, ainda hoje, alguns rootworkers optam por lançar os ovos sobre uma árvore já decadente.

Na bruxaria o mesmo feitiço pode ser feito com uma fita branca, que depois é pendurada em um galho de árvore, longe de casa.

 

Com o objetivo de acabar com a ação

Se seu objetivo for acabar com a ação, com o efeito de um trabalho que tenha sido enviado pra você ou que você tenha feito, mas não deseja mais o efeito, queime-o! Lançar sobre as chamas uma garrafa ou trouxinha de trabalho lançado sobre sua porta ou uma carta contaminada é uma forma de corte da influência.

 

Descarte ritual em malefícios:

O descarte de restos de feitiços em encruzilhadas está entre uma das práticas mais tradicionais no Hoodoo. Contudo, diferentemente da forma como é feito aqui no Brasil (nas esquinas), no Hoodoo, o descarte é feito no centro da encruzilhada. Geralmente, lançando os restos rituais sobre o ombro esquerdo e (a parte mais importante) indo embora sem olhar pra trás!

Porém, há outra formas de descarte em intenções específicas.

Quando o objetivo for mandar alguém para longe de você o descarte pode ser feito dentro de um recipiente lançado em rios ou valões. A ideia é fazer com que o fluxo contínuo das águas, que desembocam no mar, levem com elas a pessoa indesejada para bem, bem distante de você!

É claro que, nessas horas, pensar em atirar um garrafa de vidro em um rio pode ser de doer o coração para muitas pessoas. Mas, você pode encontrar a mesma eficácia se seu feitiço for condicionado em um coco seco e selado com vela.

As garrafas de maldição também tem um destino especial. Se seu objetivo for destruir a vida de seu inimigo e receber uma ajudinha extra dos espíritos e entidades locais, o mais indicado é enterrar o trabalho dentro do cemitério. Esse é um caso de implantação de trabalho que requer atenção especial. Por hora deixo apenas uma dica:

Se for fazer isso, não se esqueça de levar um agrado!

No Hoodoo há, ainda, a confecção de pós (combinação de ervas e outros cúrios reduzidos a pó) para lançar uma maldição. Esse tipo de feitiço tem, como muitos exemplificados aqui, no seu “descarte” uma ação “mágica” em si. Eles são colocados sobre o caminho das vítimas, na porta da casa ou do comércio delas, ou debaixo do tapete de entrada. E isso sempre com o objetivo de contaminá-los com a energia que foi ali empregada.

Uma outra forma de descarte, porém de uso mais específico, consiste em queimar partes do trabalho (como foto e petição com nome da vítima-alvo). O fogo nesse tipo de trabalho é usado como forma de tortura. Vemos uma ideia semelhante na forma de tortura como é feita com alfinetes em bonecas (dolls). Um bom exemplo dessa prática está no feitiço com a Vela em formato de Diabo verde, comumente usada para obrigar alguém a te pagar um valor devido.

De fato não vai dar pra falar aqui sobre todas as formas de finalizar um trabalho no hoodoo. Então, pra finalizar, você pode esconder a autoria de um malefício (e ainda manter o efeito) se colocar o trabalho embrulhadinho e guardadinho dentro de uma árvore 😉

 

Espero que tenham gostado e que o conteúdo mais uma vez tenha sido útil.

Grande abraço a todos!

 

 

You Might Also Like

Sem comentários

Dê sua opinião!