0
7 In Reflexões

O Tabu da Amarração de Amor

O tabu da amarração de amor Como age o feitiço de amarração

Estamos às vésperas do Dia dos Namorados e a internet se enche de simpatias, feitiços de amor e amarração. E eu observo o tabu que gira em torno da prática da amarração de amor. Antes de falar qualquer coisa sobre esse assunto é preciso desconstruir algumas idéias e, principalmente, separar a prática da amarração de outras práticas de feitiços de amor.

 

Feitiços de amor servem para auxiliar na conquista, incitando o desejo, criando uma atmosfera sensual sobre você para os olhos daquele que você ama. Alguns feitiços de amor servem para dar uma nova chance de ser feliz a um casal. Às vezes curando feridas, acalmando ânimos, apimentando sexualmente uma relação já desgastada pelo tempo. Outros servem para despertar o afeto, atraindo o olhar da sua paquera pra você.

Inclusive vale lembrar que, dentro de algumas práticas da magia, o uso de cúrios pessoais (links da pessoa amada) são necessários para intensificar o efeito do feitiço. Mas isso não quer dizer que isso seja uma forma de amarração. Aliás, até nos feitiços de prosperidade, sorte e maldições, os links pessoais são usados. Isso não quer dizer que se trata de uma amarração. Mas sim de uma forma bem antiga de magia simpática, em que o link representa a pessoa-alvo, sendo parte desta, mas também ela toda em si.

 

Em outra oportunidade conto pra você minha visão sobre como agem os Feitiços de Amor. Por ora, vale deixar claro que nem todo feitiço de amor é uma amarração.

 

A amarração de amor é diferente, ela também usa o link pessoal, mas no intuito de forçar uma união. Geralmente as pessoas veem a Amarração de amor como algo que possa prejudicar alguém. E isso pautado na ideia de que esse amor não é livre, é um amor aprisionado àquele que fez a magia.

Nessas horas eu já imagino uma cena onde a vítima de amarra deveria ter um destino com o amor de sua vida, mas não terá. Por culpa da amarra, a vítima passará o resto da vida em uma tristeza e infelicidade.

Porém, devo dizer, eu vejo isso muito mais como uma crença limitante do que uma realidade. Sabe o motivo?  Porque não é assim que acontece.

 

Amarração de amor une, mas não mantém o que uniu.

 

Não é porque a pessoa fez uma amarra que ela conseguirá manter o amor daquele que foi amarrado. Ou seja, não é porque a pessoa trouxe para si o amor de alguém, que ela conseguirá cultivá-lo e mantê-lo ali, ao seu lado.

Há vários fatores e é exatamente por conta deles que muitas amarrações acabam por se desfazer logo. Quem nunca ouviu dizer “Fulana fez uma amarração mas depois o casal se separou”, ou “ Fulano voltou pra mim, mas ficou durante um tempo e depois foi embora novamente” ou, ainda, “Amarração não dura, o casal se separa depois”.

Um dos fatores que, a meu ver, conduz a uma separação inevitável após a amarra ter tido sucesso é o fato de que as pessoas que compõem aquele casal, que já não está mais junto, terem se tornado pessoas bem diferentes. Ora, ninguém “é” nada, as pessoas simplesmente “estão”. Ou seja, ninguém é fiel, carinhoso, atencioso, etc. Um indivíduo pode ter um comportamento maravilhoso no início da relação e, como passar dos anos, se tornar um pouco amargurado, frio, distante, sem paciência. Dessa mesma forma pode acontecer o término de uma relação já desgastada de muitos anos.  Também assim pode ocorrer com as uniões proporcionadas por amarração.

 

Reconheço o quanto a prática da amarração de amor pode ser danosa.

 

Pra mim, a prática da amarração se torna danosa quando ela é feita com o desejo de aprisionar o outro em um relacionamento. Infelizmente, há aquelas pessoas onde somente a união importe, e não a felicidade. Lamento por isso, porque acredito que essas pessoas não sabem amar. São movidas por outro sentimento que não o amor.

Acredito, inclusive, que essas pessoas perdem a chance de encontrar o NOVO. Um novo amor para experimentar. E o “Novo”, minha gente, pode ser surpreendente. Pode ser algo como você nunca viu!

Acredito que essas pessoas, por não saberem aceitar o “não” de seus amados, ou por simples pessimismo (por acharem que a vida só lhes dará aquela chance de ser feliz), continuam ali… tentando determinada união.

Mas, vou te dizer: não existe somente uma pérola no oceano! Elas são raras, mas não são impossíveis de serem achadas.

Se você quer uma segunda chance ou se quer muito tentar oferecer seu amor para alguém que não tem muito o olhar pra você, tente. Vá em frente, faça a sua amarração de amor! Conquistar é uma arte e a magia pode ser sim uma ferramenta pra isso.

Mas tenha em mente de que a amarração não prende ninguém a você.

 

A magia traz para você o solo a ser semeado, o resto é contigo!

 

E quanto a leis de retorno… Reflita: como você pode colher ódio do universo se o que você plantou foi amor? A menos que o que foi plantado não seja algo movido pela nobreza desse sentimento.

Pensando nisso é que algumas pessoas preferem ater-se à frase “Faze o que tu queres desde que não prejudique ninguém”. E, por acreditarem que a amarração de amor mexe com o livre arbítrio alheio, acabam por achar que esse tipo de feitiço é prejudicial para quem pratica e para quem ele é enviado.

Ora, se você acha que a amarração de amor muda o destino das pessoas, então, sinto te dizer, mas a magia serve pra isso mesmo. Até quando você faz um feitiço pra arrumar um emprego, você está mexendo com o destino de outras pessoas. Quantas pessoas não deixaram de conseguir o emprego que você conquistou (usando a magia como ferramenta) mas que, na verdade, estaria “destinado” a outra pessoa?

 

Por fim, quero dizer que respeito quem não pratica a tão mistificadas “amarrações”. Mas entendo o pensamento de quem as pratica. Afinal, se o livre arbítrio existe, então ele vale também para a minha vontade de realização de algo. Se não deixa de ser livre arbítrio e acaba lembrando a condicional bíblica: “você tem o livre arbítrio, desde que não coma a maçã, o fruto do conhecimento”.

Se você se reconhece como capaz de oferecer felicidade e plenitude ao alvo do seu feitiço, então, na verdade, você está oferecendo o melhor daquilo que o outro poderia ter. Se é verdadeiro o que oferece, se é profundo, se é digno, então não pode ser ruim. É algo na verdade que muitos gostariam de ter, mas que essa pessoa especificamente terá o privilégio de receber.

 

Como falei, caso essa união não seja boa para o outro (dentro daquilo que essa pessoa considera como bom),
a vida (o dia a dia da relação) tratará de distanciá-los.

 

Cuidemos apenas de reavaliar nosso conceito sobre amarração. A amarração não faz ninguém amar obrigado, ela apenas desperta a anima (alma ou aquilo que dá vida ao outro) para você.

A todo momento trazemos com nosso encanto pessoas para nosso amor, sem no entanto sabermos se aquilo será duradouro. A amarração também é assim, ela é apenas mais um recurso.

You Might Also Like

7 Comentários

  • Reply
    Paty
    31 de julho de 2017 at 20:54

    Perfeito!
    Claro e lógico!
    Parabéns!!

    • Reply
      Jess
      1 de agosto de 2017 at 07:23

      Obrigada, Paty! Que bom que gostou! ^^

  • Reply
    Rosangela Silva Santos
    5 de novembro de 2017 at 07:26

    Gratidão por compartilhar seus conhecimentos!! Amei….e me ajudou muito

    Obrigada

  • Reply
    André Melila
    7 de dezembro de 2018 at 08:52

    Sobre amarrar alguém sempre penso ” será que o destino dele não era ser amarrado por mim” eu amo meu ex que me abandonou e vi em cartas ciganas e jogos de Búzios e outros oráculos que ele gosta de mim, porém o ego é maior e que se eu fizer ele volta. Entretanto após 3 anos sozinho, sem ao menos beijar outra pessoa eu penso será que meu destino é ficar sozinho por mais anos ou fazer ? Meu coração pede pra eu lutar e reconstruir minha família e minha razão diz pra eu seguir meu carma e ficar como Deus acha melhor.

    • Reply
      Jess
      19 de dezembro de 2018 at 16:12

      Oi, André! Então, antes de tudo devo te dizer que essa é uma opinião bem pessoal minha, ok? Eu vejo essa ideia de que Deus (o deus cristão) tem um destino fechado pra os seus como algo muito estranho. Isso seria um grande paradoxo com a ideia de livre arbítrio, igualmente presente nos ensinamentos cristãos. Contudo, leve em consideração que eu não sou cristã. Logo, minha perspectiva sobre essa temática sempre irá se pautar na ideia que tenho dos meus Deuses. A reflexão que trago acima é apenas de quem observa o cristianismo de longe, sem ser uma pessoa devota, muito menos uma praticante. Penso que somos livre e usamos nossa vontade ao nosso favor. Contudo, devemos sempre lembrar que, se eu tenho livre arbítrio, o outro também o terá. É por isso que defendo a ideia na qual, para ser deveras eficaz, um trabalho de amor ou reconciliação lançado deve encontrar, no nosso alvo, um campo fértil para florescer.
      Não depende somente da sua decisão, entende? Sabendo disso, te digo: siga seu coração de forma genuína e, se optar por fazê-lo, faça-o com a mais pura vontade de seu coração. E veja se o outro lado tem o tal “campo fértil” a te oferecer.
      No mais, reflita sobre o seguinte: a vida nos dá muitas oportunidades para sermos felizes. Muitas! Num infinito oceano de oportunidades que é a vida, eu custo a acreditar que só haja 1 pérola por quem nos apaixonamos. Então saiba que a vida te trará outras pérolas, no momento que você decidir (se vier a decidir) se abrir para o mar.
      Segue um texto, caso tenha interesse: https://www.osortilegio.com/feitico-para-esquecer-um-amor/

  • Reply
    Andrew
    20 de dezembro de 2018 at 08:50

    O texto foi de rasgar o coração, eu vou fazer esse feitiço e colocar todo o meu amor e sentimentos nele. Vai ser como vc disse, irei lançar a semente e se ela germinar e dar bons frutos irei colher, porém se eu não perceber nada, vou pedir a Deus que me ajude a seguir em frente.
    Eu sempre acreditei na magia e se ela me abandonar é porque eu não sou bom o suficiente, não quero deixar de acreditar que tudo é possível e que podemos moldar nossas vidas com o auxílio, do espiritual.
    Cresci acreditando no amor e que seria feliz com a pessoa que a minha alma escolheu, não quero acreditar que apenas me enganei ou me iludi esse tempo todo.
    Desculpe o desabafo desse Libriano com a lua em Peixes que vive acreditando em que sonhos se tornam realidade.

    Obrigado pela sua atenção!!! Não sou uma pessoa fraca apenas um homem com o coração de um menino que esqueceu de crescer

    • Reply
      Jess
      20 de dezembro de 2018 at 12:03

      Andrew, como eu te disse, a Magia não depende somente de quem faz. Claro que ter uma “mão boa” para praticá-la é fundamental! Mas eu já vi muitas pessoas indo de um estágio inicial de falta de crença em seu poder pessoal à um estágio de faculdades espirituais em desenvolvimento. Então, como eu te disse, faça com seu coração em vontade genuína e aguarde o resultado. Mas se lembre também de que nem tudo depende somente de nós.
      Eu é que agradeço pela confiança em vir aqui contar seu relato e se abrir. Eu adoro trocar experiências com meus leitores. Esse feedback dá um sentido ainda maior para tudo o que faço. Obrigada e seja sempre muito bem vindo!
      Grande abraço, meu querido.
      E, precisando, é só falar!

    Dê sua opinião!