0
2 In Reflexões

Proteção espiritual: quem são seus guardiões espirituais?

Proteção espiritual quem são seus guardiões espirituais paganismo animais de poder xamanismo bruxaria ancestralidade espíritos auxiliares

Há pessoas que, embora não tenham nenhum contato com a espiritualidade, possuem uma proteção espiritual muito forte. São aquelas pessoas que dizemos que “Aquilo que as acompanha não dorme”. Às vezes são pessoas que nasceram com esse plus, da mesma forma como nós, bruxos, também nascemos com algumas características especiais. Porém, outras vezes são casos de pessoas que desenvolveram profundo contato com a espiritualidade que as cercam ao longo de suas vidas. E, assim, acabaram aumentando sua proteção espiritual.

É exatamente sobre esse último exemplo que quero falar aqui. Esse contato aprofundado não se dá da noite pro dia. Ele não vem porque você fez um rito iniciático ou declarou sua devoção aos Deuses. Desenvolver esse contato aprofundado é como construir uma amizade… Requer tempo, confiança e dedicação. É uma amizade que você desenvolve com o “Outro lado” e também é uma amizade com você mesmo (com seu poder pessoal).

É claro que se você tem uma ideia de quem são seus guardiões fica mais fácil contactá-los. Porém, se você não sabe quem são as entidades e espíritos que te protegem, está na hora de começar a trabalhar esse contato. É hora de estreitar os laços para que eles se manifestem em sua vida e te auxiliem em sua jornada espiritual. Esse contato pode ser mediante um sonho revelador, um insight durante uma meditação, ou até mesmo uma revelação durante uma leitura oracular.

Porém, é necessário também que você entenda primeiramente que não é você que os escolhe. Eles te escolhem. Segundo, é importante também que você saiba que seus guardiões podem não ser somente deidades. Eles podem ser animais totens (animal guardião); ou um espírito de um Ancestral Espiritual. Ou seja, sem laços de sangue familiares, mas que atua como auxiliar espiritual para sua família por uma questão de afinidade. Esse guardião pode ser até mesmo o espírito de um Ancestral de Família e que, por amor, atua como um guardião em relação a esta. Esse último é geralmente uma bisavó ou avô queridos, mas que já se encontram do “Outro lado”.

Algumas pessoas acreditam que para que essas pessoas sejam nossos guardiões elas deveriam ter tido, quando vivas, certo conhecimento espiritual. Mas isso não é uma regra.

 

Contactando seus guardiões

A meditação guiada:

Se você não os conhece, mas gostaria, vou te dar algumas ideias de como você pode fazer isso. Uma forma muito eficaz de conhecer seu animal guardião, por exemplo, é através de um exercício de meditação guiada. A meditação guiada é quando, através de uma narrativa, isenta de elementos sugestivos, e através de uma ferramenta auxiliar do processo (como um tambor ou uso de substâncias enteógenas) você adentra o espaço de seu totem, e este estabelece uma comunicação.

Quando eu digo “uma narrativa isenta de elementos sugestivos” quero dizer que se trata de uma narrativa que te leve a esse contato, que te permita o voo espiritual, mas que não te diga onde você deve ir. Para entender essa necessidade, basta pensar que se eu menciono em uma narrativa dessas que você “está entrando uma floresta”, a possibilidade de você contactar um totem oriundo do mar é nula! Esse é um recurso maravilhoso, mas tem de ser bem utilizado.

A meditação guiada pode ser usada, ainda, para a descoberta de entidades e deidades guardiãs. Inclusive, no Paganismo, algumas pessoas creem na ideia de que nascemos com a bênção especial não só de um animal de poder (animal guardião), mas também de uma, ou duas, deidade(s) específica(s).

 

Um “patrono” (pater, do Latim: pai) e/ou “matrona” (mater, do latim: mãe),

por assim dizer.

 

Embora nem todos os pagãos acreditem nesse conceito, eu o tenho como uma verdade, assim como muitos amigos queridos com os quais tenho a oportunidade de compartilhar experiências e entender melhor esse fenômeno.

E, para a descoberta dessas deidades a meditação guiada é um excelente recurso. Isso não quer dizer que todas as vezes que você contactar uma deidade ou entidade em uma jornada ela será um guardião. Mas, se a meditação for com esse propósito e essa intenção for estabelecida previamente de forma ritual antes da jornada, pode contar que, se o contato ocorrer, será de cunho revelatório.

 

Revelações por sonhos:

Revelações oníricas são muito comuns também. Eu já perdi as contas de quantas mensagens de meus guardiões recebi através de sonhos. Embora a apresentação desses guardiões não tenham vindo através de sonhos. Mas isso ocorre. Há algumas ervas que podem ser usadas em pacotinhos dentro do seu travesseiro e que auxiliam nesse processo. O Buchu (Agathosma betulina) é uma delas. Você pode usá-lo sozinho dentro do travesseiro à noite e também para fazer defumações, junto com Olíbano, antes de Leituras oraculares, para esse mesmo fim.

 

Revelação por intermédio de um oráculo:

Uma outra forma de conhecer seus guardiões é através de leituras oraculares, isso, claro, quando há um interesse deles em se apresentar a você. Inclusive, algumas vezes essa revelação não se dá por determinados oráculos, fazendo-se necessário a consulta de diferentes sistemas para que finalmente o contato seja estabelecido. Isso tem a ver com o sistema escolhido e com o universo cultural relacionado a determinada deidade.

 

Ouvindo as histórias sobre nossos Ancestrais:

A pesquisa no âmbito familiar também nos diz muito sobre um tipo de guardião específico que tratei no início desse texto, os nossos ancestrais.  Muitos pagãos ignoram esse tipo de proteção, fato que considero um grande erro, tendo em vista que o culto aos ancestrais é uma das bases do Paganismo. E, quando me refiro a ancestrais aqui, eu falo não só daqueles que possuem laços de sangue conosco, mas também aqueles que possuem laços fraternos com nossas famílias. Aqueles que muitas vezes acompanharam o trabalho espiritual de seus ancestrais e que, muito provavelmente, já fazem isso há séculos. Para saber mais sobre eles você terá de sentar com os anciões de sua família e pedir que eles lhe contem histórias sobre seus ancestrais. E, a partir dessas histórias, buscá-los, contactá-los, reverenciá-los e honrá-los.

 

Preparando-se para ouvir nossos guardiões:

O próximo passo para estreitar seus laços é montando altares em sua casa. E, embora o Hoodoo não seja uma religião, ele nos fornece muitas informações de como trabalhar com nossos ancestrais. Mas esse será assunto para uma outra postagem. Há questões importantíssimas relacionadas a isso e que deixariam essa postagem extensa demais.

Contudo, vale ressaltar que é nesse momento, nessa busca por esse contato que um outro critério entra em questão. Ao fazer essa busca, é prudente que você mantenha seu ambiente espiritual interno (corpo e espírito) e externo (casa ou local de trabalho espiritual) limpos. Isso é uma das coisas mais básicas na prática da Magia. E isso não tem nada a ver com “buscar uma elevação espiritual”. Eu odeio esse termo, inclusive.

Isso tem a ver com a construção de uma ambiente propício ao contato genuíno. Pense comigo…

 

Se você anda meio “carregado” espiritualmente,

com que tipo de energia você espera conseguir se contactar?

 

Ora, se você não mantém sua energia tocando de forma harmoniosa, a tendencia é o contato que você estabeleça esteja mais próximo da energia de espíritos zombeteiros do que da energia de seus guardiões. Entende?

Para isso, inicie sua busca fazendo uma Lavagem de Chão de Banimento na sua casa e principalmente no seu local de repouso e de trabalho espiritual. Em seguida, faça um trabalho contínuo de limpeza espiritual em você, com Banhos de ervas. Quando me refiro a um trabalho contínuo, me refiro a fazer o banho de forma sequencial. Eu já expliquei um pouco sobre a importância dessa sequencia em outras postagens. Por hora, vou deixar 2 links de produtos que vendo aqui na loja e que se aplicam a esse fim. O Banho Remove o Mal e a Lavagem de Chão Banimento. Mas sinta-se livre para preparar, conjurar e fazer seus próprios Banhos e Lavagem de Chão.

 

Quem são seus guardiões? Sobre escolhas:

Lembre-se sempre que não se escolhe guardião. Não interessa se você acha a deidade tal maravilhosa ou se você adora determinado animal, lobo, felinos, pássaros, cavalo. Inclusive devo te dizer que já vi esse caso se repetir inúmeras vezes! A pessoa julga que ter determinado animal ou deidade como guardião. Passa a vida defendendo aquilo porque lhe dá um status social… Afinal, quem não tem um amigo(a) que tem um animal tão exuberante como lobo como animal totem? E nossa… há tantas filhas de Hécate no mundo que daria pra lotar um estádio de futebol. Respeitados os casos em que de fato se trata de casos legítimos, muitos passam longe de possuírem quaisquer características relacionadas a seus guardiões.

E, sim… Há uma tênue relação entre os dons que a pessoa já possui, ou aqueles que ela tem maior aptidão para aprender, com os guardiões espirituais que ela “carrega”.

Sob pena de passarem a vida tentando tirar leite de pedra, eu digo, não façam isso! Sejam sinceros com suas espiritualidades e com seu caminho espiritual. Entendam que a forma como seus guardiões irão se relacionar contigo é muito mais intensa e genuína que a forma que aquela entidade ou espírito guardião que você escolheu pra seguir se relaciona contigo.

 

Você estabelece contato e cultua quem quiser,

mas a escolha de quem “te acompanha” não é sua.

 

Bom… é isso. Gostou? Então aguarde pois essa semana ainda postarei um trabalho muito bacana de proteção espiritual para você fazer com seus guardiões. Não perca!

 

You Might Also Like

2 Comentários

  • Reply
    Jordana
    16 de agosto de 2018 at 11:47

    Bom diaaa! Jess
    Adoro seus posts são muito esclarecedores,
    Tanto que sempre comento com dúvidas pra variar!
    Bom! Sobre as deidades que nos acompanham tenho muita afinidade com as deusas negras, pq gosto muito da noite e tem muitos outros traços com os quais me identifico e tal essa característica da minha personalidade pode ser um indicativo?
    E sobre o animal totem vc citou o lobo no texto e casualmente esses dias estava indo pro trabalho e do nada surgiu na minha mente a imagem de um lobo era como se ele estivesse na floresta e eu aonde eu estava super estranho, mais até hoje devido as mil coisas que faço não parei pra fazer uma meditação para tentar um contato para ver se é ele que aparece novamente ou outro, mais enfim é isso!
    Estou super anciosa por janeiro pelo curso on-line quero muito me aprofundar no hoodoo!!
    Obrigada!!

    • Reply
      Jess
      24 de agosto de 2018 at 10:24

      Oi, Jordana! Fique a vontade para mandar suas perguntas.
      Não sei se entendi bem sua dúvida. Mas vou tentar responder. Há um conceito dentro do Paganismo, para aqueles que acreditam na ideia de que possuímos um patrono e-ou matrona, de que, por termos essa bênção, acabamos portando um dom ou característica – ainda que não plenamente desenvolvida – desses deuses. Isso pode ser um traço na personalidade, um dom para cura ou para malefícios… essas coisas. Não sei se essa informação te auxilia em sua pergunta.
      Quanto ao animal totem, te sugiro que embarque nessa jornada de busca para conhece-lo. Estou preparando uma surpresa para os leitores sobre esse tema. Sei que essa surpresa vai ajudar a muitas pessoas, inclusive a você, nessa jornada.
      O curso de Hoodoo não aborda essas temáticas, tendo em vista que tais conceitos estão relacionados mais diretamente ao xamanismo e ao paganismo. Mas a parte no que diz respeito aos ancestrais é abordada sim. Te espero na turma online então! ^^
      Grande abraço!

    Dê sua opinião!